O QUE É UM BOM VINHO?

 

Um bom vinho é, acima de tudo, um vinho do qual você goste o suficiente para beber, porque seu objetivo principal é levar prazer à pessoa que o bebe. Depois disso, a qualidade de um vinho depende da maneira como ele atende a um conjunto de padrões de desempenho, mais ou menos, acordados e estabelecidos por especialistas treinados.restaurant-love-romantic-dinner Estes padrões envolvem conceitos misteriosos, como: equilíbrio, persistência, profundidade, complexidade e fidelidade ao tipo (tipicidade).

EQUILÍBRIO: Doçura, acidez e tanino – representam três dos principais componentes (parte) do vinho. O quarto componente é o álcool. Além de ser um dos motivos pelos quais desejamos beber uma taça de vinho, o álcool é um elemento importante na qualidade do vinho. Equilíbrio é a relação entre esses quatro componentes. Um vinho é equilibrado quando nada se destaca na degustação, como um tanino grosseiro ou doçura demais. A maioria dos vinhos é equilibrada para a maioria das pessoas. Se você gosta de um determinado tipo de comida, como, por exemplo, não gosta de alimentos ácidos ou se nunca come doces – poderá achar que alguns vinhos não são equilibrados.

GOSTO É PESSOAL: Literalmente! A percepção dos gostos básicos na língua varia de uma pessoa para outra. Pesquisas comprovam que algumas pessoas tem mais papilas gustativas do que outras e, portanto, são mais sensíveis a características como amargor ou acidez em comidas e bebidas. Garrafa suandoDegustadores mais sensíveis são chamados, de forma um tanto quanto errônea de “super degustadores” – não porque são mais experientes, mas porque percebem sensações como o amargor de modo mais preciso. Se você acha os refrigerantes dietéticos muito amargos ou se tem que colocar muito açúcar em seu café para deixá-lo com paladar melhor, você pode fazer parte desta categoria – e, portanto, pode achar muitos vinhos tintos desagradáveis, mesmo que outras pessoas os considerem.

PAPO DE ESPECIALISTA: Tanino e acidez são elementos de estrutura do vinho (eles deixam o gosto mais firme na boca), enquanto o álcool e o açúcar são elementos de suavização. O equilíbrio de um vinho é a inter-relação dos aspectos firmes e suaves de um vinho – isso indica qualidade. 

PERSISTÊNCIA: Quando chamamos os vinhos de longo ou curto, não estamos nos referindo ao tamanho da garrafa ou à velocidade com que a esvaziamos. Persistência é uma palavra utilizada para descrever um vinho que dá a impressão de percorrer todo o paladar – você pode senti-lo em toda a sua língua – ao invés de parar no meio do caminho, sem que você o tenha saboreado. pouring-wineHoje em dia, há muitos vinhos extremamente concentrados no paladar frontal – eles dão uma ótima impressão, assim que você os coloca na boca – mas eles não percorrem sua boca inteira. Eles são curtos. Geralmente, a alta graduação alcoólica ou o excesso de tanino são os culpados. A persistência é um sinal certo de boa qualidade.

PROFUNDIDADE: Este é mais um atributo subjetivo e imensurável de um vinho de boa qualidade. Dizemos que um vinho tem profundidade quando ele parece ter uma dimensão de verticalidade – isto é, ele não parece liso e unidimensional em sua boca. Um vinho “liso” nunca pode ser ótimo.

 

COMPLEXIDADE: Não há nada errado com um vinho simples e direto, principalmente se você o aprecia. Mas um vinho que permanece revelando coisas diferentes, sempre mostrando um novo sabor ou impressão – um vinho que tenha complexidade – é geralmente considerado de melhor qualidade. Alguns especialistas utilizam o termo complexidade, especificamente, para indicar que um vinho tem uma multiplicidade de aromas e sabores, enquanto outros utilizam o termo em um sentido mais holístico (porém, menos preciso), para se referirem à impressão geral que o vinho proporciona.

DICA: Para uma experiência de como o princípio do equilíbrio de sabores funciona, tente o seguinte: faça uma xícara de chá bem forte e esfrie. cup-mug-water-teaAo beber o chá frio vai parecer amargo, pois está muito tânico. Agora, adicione suco de limão; o chá ficará adstringente (contraindo os poros de sua boca), pois o ácido do limão e o tanino do chá estão acentuando um ao outro. Depois, adicione bastante açúcar ao chá. A doçura deve contrabalancear o impacto ácido-tanino e o chá ficará mais suave do que estava antes.

Barra do 1853 Old wine estates Malbec (Copy) (2)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: